Direitos da Criança e do Adolescente

15/12/2017

Conselho estadual aprova mais seis projetos para crianças e adolescentes

Novos projetos para crianças e adolescentes, em todo o Paraná, foram aprovados em dezembro, pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca-PR), para compor o Banco de Projetos. São seis organizações da sociedade civil que se somam a nove iniciativas já em execução.

Os projetos contemplam crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e envolvem atividades culturais, desenvolvimento de habilidades sociais e profissionais, e atendimento especializado no caso de direitos violados.

O material está disponível na página da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social. A secretaria mantém a estrutura de apoio ao Conselho, que tem participação paritária, com membros do governo e da sociedade.

De acordo com o presidente do Cedca-PR, Alann Caetano Bento, a aprovação dos projetos ainda em dezembro é importante para que as entidades possam captar recursos de doações de impostos de renda devido. O prazo para destinar parte do valor devido a algum projeto termina dia 28, nos limites de 6% para empresas e 1% para pessoas físicas.

TRANSFORMAÇÃO – “Os projetos aprovados possuem a capacidade de transformar a realidade de muitas crianças e adolescentes, ao promoverem ações que estimulam a assistência, o ensino e a pesquisa. Os documentos passaram por análise e foi dado parecer favorável em relação à sua idoneidade”, destaca o coordenador.

O banco de projetos recebe recursos das doações feitas ao Fundo Estadual para a Infância e a Adolescência (FIA). Desde 2011, já foram repassados R$ 50 milhões para organizações da sociedade civil cadastradas no banco de projetos. O contribuinte pode doar diretamente para o fundo ou para um projeto específico.

APROVAÇÕES – Na última reunião ordinária do ano, foram aprovados repasses para programas que fortalecem a rede de proteção de crianças e adolescentes. Os programas estimulam a prevenção ao uso e abuso de álcool e outras drogas.

Os conselheiros também dialogaram sobre o planejamento de ações para o próximo ano, o que inclui a realização de seminários e congressos sobre o enfrentamento a violências.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.