Direitos da Criança e do Adolescente

10/04/2017

Centros da Juventude levam esporte, lazer e cultura a adolescentes na RMC

Cidadania, convivência e formação são os três pilares do Centro da Juventude, criado pelo Governo do Estado, para afastar adolescentes e jovens de situações de exposição ao risco e vulnerabilidade social.

São espaços públicos, que oferecem atividades de lazer, esportes, cultura e qualificação profissional para jovens de 12 a 18 anos. Desde 2011, a Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social construiu 24 Centros da Juventude no Estado, um investimento que chega a R$ 67,6 milhões.

A secretária Fernanda Richa explica que com as ações oferecidas nos Centros da Juventude é possível diminuir a evasão escolar, fortalecer os vínculos familiares e melhorar o convívio social dos adolescentes.

“Os Centros da Juventude reforçam a rede de proteção social básica com espaços para convivência, lazer, cultura, práticas esportivas e qualificação profissional. Eles foram criados para afastar adolescentes e jovens de situações de exposição ao risco e vulnerabilidade social”, afirmou.

RMC – Os adolescentes e jovens que vivem na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) receberam seis Centros da Juventude, inaugurados em 2012 e 2013. Todos os meses, cerca de seis mil pessoas participam de atividades e utilizam os espaços dos centros em Almirante Tamandaré, Campo Largo, Lapa, Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais. Juntos eles somam mais de R$ 24 milhões em investimento e as áreas construídas variam entre 2.500 e 2700 metros.

Na Lapa, o Centro da Juventude oferece 12 oficinas diferentes. O prefeito Paulo Cesar Furiatti ressalta a importância do projeto na cidade. “O Centro atende 109 adolescentes em um projeto exclusivamente deles. Eles contam com aulas de dança e informática e escolinhas de esportes em um espaço adequado para as atividades”, disse. O Centro da Juventude da Lapa foi inaugurado em 2012 e teve investimento de R$ 2,86 milhões.

PARCERIA – O Governo do Estado constrói as unidades, desenvolve o projeto pedagógico e concede a administração dos espaços prontos às prefeituras. O projeto arquitetônico, elaborado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano, inclui área administrativa, ginásio poliesportivo, praça com pista de skate, salas multiúso, laboratório de informática, teatro-arena e bibliotecas.

A Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social dá a diretriz para promover a inclusão. As atividades práticas são determinadas pelos municípios de acordo com o perfil de cada um.

PARTICIPAÇÃO SOCIAL – Uma das atividades desenvolvidas nos Centros da Juventude é o projeto Agente da Cidadania, em que adolescentes da própria comunidade tornam-se educadores e mobilizadores sociais. O objetivo é incentivar e promover a participação social e cidadã, além da inclusão sociocultural dos adolescentes e jovens.

Para participar é preciso elaborar um projeto e aplicá-lo em atividades dos três eixos do Centro. Como auxílio, eles recebem uma bolsa mensal no valor de R$ 150,00.

Desde o início do projeto, em 2013, a Secretaria da Família e Desenvolvimento Social ofereceu cerca de três mil bolsas para os adolescentes da RMC. O valor total repassado foi de R$ 447,3 mil.

De acordo com o prefeito de São José dos Pinhais, Toninho Fenelon, o projeto tem rendido “bons frutos” na cidade. “A parceria com o Governo do Estado tem se mostrado muito eficaz para os jovens participantes, já que além do recurso oferecido permite que sejam protagonistas dos seus próprios projetos, fazendo a diferença na vida deles”, afirmou.

Ele explicou que após três anos de Agentes da Cidadania em São José dos Pinhais dois jovens conseguiram, como resultado do projeto, a classificação em faculdades e colocação no mercado de trabalho.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.